TENTATIVAS DE HOMICÍDIO : Espancado na Anchieta e baleado no Fragata

TENTATIVAS DE HOMICÍDIO : Espancado na Anchieta e baleado no Fragata

Homem de 33 anos foi baleado no ombro, perna e por pouco não foi atingido na face. O tiro passou de raspão. Conforme a testemunha J. F. S., que presenciou o ataque a tiros no fim do bairro Fragata, o homicídio somente não foi consumado, pois ele conseguiu desarmar o acusado. De acordo com o boletim de ocorrência, cujo registro ocorreu sexta à noite na Delegacia de Pronto Atendimento (DPPA), a vítima F. Q. S. e o acusado E. G. R., durante a tarde, desentenderam-se e houve briga no Passo do Salso.

TIROS – Armado com revólver Taurus, calibre 38, o acusado efetuou disparos em direção à vítima. Os primeiros tiros acertaram o ombro, perna, e um passou próximo à face. A testemunha, então, que estava perto da briga, conseguiu conter o agressor, e arrancou a arma da sua mão. O acusado tratou de fugir, e a testemunha escondeu o revólver.

SOCORRO – De acordo com o registro na DPPA, a testemunha foi até a unidade da Brigada Militar, situada à avenida Duque de Caxias, esquina com a avenida Cidade de Lisboa, no Fragata, e solicitou ajuda. A vítima foi socorrida e encaminhada ao Pronto Socorro. Os policiais militares pediram que a testemunha mostrasse o local no qual estava a arma.

ARMA – A testemunha conduziu os policiais militares até o Passo do Salso, onde ocorreu a briga e a tentativa de homicídio. Nas imediações, indicou onde havia descartado a arma. O revólver foi recolhido e, numa consulta ao sistema da segurança pública, conforme a numeração da arma, foi verificado que constava como furtado desde 1992. A arma foi apreendida e levada para a DPPA.

CabeçalhoESPANCAMENTO – Às 19h30min de sábado, à rua Anchieta, proximidade da localidade conhecida como Pântano, homem foi encontrado caído. Ele apresentava sinais de agressão, e estava inconsciente. A vítima, identificada como R. T. de 37 anos, foi socorrida e encaminhada ao Pronto Socorro. Policiais civis foram até o PS, na tentativa de ouvir a vítima, e saber o que teria ocasionado os ferimentos e lesões. No entanto, como estava “entubado”, e sob cuidados, não houve condição para ouvir a vítima. De acordo com o registro efetuado às 20h23min de sábado, foi constatado que a vítima havia sido agredida a pauladas. A polícia iniciou investigações, para localizar testemunhas e esclarecer o que aconteceu no Pântano.

BOM JESUS – Às 22h5min de sábado, policiais militares efetuavam patrulhamento na Bom Jesus até que, ao chegarem à rua Marechal Feliciano Mendes de Morais, notaram que havia uma aglomeração. A guarnição aproximou-se e os policiais militares perguntaram o que havia acontecido. O jovem R. O. D. de vinte anos, explicou que estava em frente à sua moradia, quando chegou quarteto. O grupo mirou no jovem, mas ele não foi alvejado. Conforme o boletim de ocorrência na DPPA, os atiradores já estão identificados, e têm ligação com “chefe” do tráfico no loteamento Dunas. No local, policiais militares encontraram cinco estojos deflagrados de munição calibre 38.



Fonte: Diário da Manhã
Redação: redacao@diariodamanhapelotas.com.br

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: