Prefeitura notifica consórcio e rodoviários para garantir transporte

Prefeitura notifica consórcio e rodoviários para garantir transporte

Mais de 50 vans e ônibus foram cadastrados para atuarem no período de paralisação

A Prefeitura notificou, ontem, o Sindicato das Empresas de Transporte Rodoviário do Município para que cumpra a sua responsabilidade contratual de disponibilizar o transporte coletivo de passageiros.

USUÁRIOS tiveram que utilizar transporte alternativo pago

USUÁRIOS tiveram que utilizar transporte alternativo pago

O Executivo também ajuizou uma ação declaratória de ilegalidade e abusividade de greve, no Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT/4), exigindo que o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário de Pelotas disponibilize à população o mínimo legal de 30% de circulação da frota e 60% nos horários de pico (7h às 8h30min e 17h às 19h30min), sob pena de multa.

Segundo a prefeita Paula Mascarenhas, a missão do governo municipal é resguardar o interesse público e proteger o cidadão. “Se revogarmos a tarifa atual, não vamos beneficiar os usuários, ao contrário, porque o Sindicato dos Trabalhadores e o Sindicato das Empresas teriam condições de negociar um novo índice, que impactaria numa tarifa mais alta para a população”.

Trabalhadores do Transporte Coletivo de Pelotas, após assembleia ocorrida na noite de quarta-feira, decidiram manter a greve, que já dura oito dias, descumprindo acordo feito durante audiência de conciliação, realizada na Justiça do Trabalho, com a diretora do Foro de Pelotas, juíza Cacilda Ribeiro Isaacsson. A Prefeitura, através da Secretaria de Transporte e Trânsito (STT), cadastrou mais de 50 vans e ônibus para atuarem no transporte publico neste período de greve, com a finalidade de atenuar as dificuldades da população. Conforme o secretário Flávio Al Alam, foram sugeridos dois valores para cobrança aos passageiros: R$ 3,00 para percursos curtos e R$ 5,00 para trajetos mais longos.

Hoje está marcada uma audiência com o vice-presidente do TRT/4, desembargador Ricardo Carvalho Fraga, em Porto Alegre, com os dois sindicatos para tratar do acesso ao transporte coletivo em Pelotas. A procuradora-geral adjunta de Pelotas, Brenda Guarani, acompanha a reunião.



Fonte: Diário da Manhã
Redação: redacao@diariodamanhapelotas.com.br

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: