MORROSTOCK DE PESO :  Banda pelotense toca na  edição online do festival

MORROSTOCK DE PESO : Banda pelotense toca na edição online do festival

Punk rock do Marinas Found no festival “Morrostock de Peso na Trilha”

Por Carlos Cogoy

 

Enominada, Nunca Serão, Erros, Puxe os Freios, Jorge e Vazio. Algumas das músicas do disco “Ansiolítico”, lançado pela banda pelotense “Marinas Found” em 2019. Com doze faixas, o disco pode ser ouvido na íntegra no canal da banda no Youtube. Para acompanhar a interpretação com a nova formação da banda, no sábado o grupo será uma das atrações do festival online “Morrostock de Peso na Trilha”. O projeto musical independente, aprovado em edital da Lei Aldir Blanc em Sapucaia do Sul, terá shows nos dias 30 e 31. No sábado às 20h, abertura com Rotten Garden. Na sequência, Bleff. Às 21h45min, punk rock da Marinas Found. A primeira noite encerra com Abigail. No domingo a partir das 19h: Solana Star; Estragonoff; Lo que te voy a decir; Cat Arcarde. Para assistir acesse Arquivo Punk Rock do Sul no Youtube, ou Trilha Hub Cordeiro no Facebook.

Grupo participa de coletânea com bandas gaúchas

ONLINE – O vocalista Pedro Soler menciona sobre a participação: “Nunca tocamos no Morrostock, apesar da grande vontade de participar do festival. Então essa vai ser nossa primeira experiência com o Morrostock. O projeto online acontece junto com o estúdio Trilha Hub Cultura de Sapucaia, e o Arquivo Punk Rock do Sul, um coletivo fundado pela Lê Sisa de Canoas”. A Marinas Found recebeu o convite pois foi uma das 23 bandas que, em junho do ano passado, participou da coletânea “Antifascistas”.

PLANÍCIES é a música da Marinas Found na coletânea, que está disponível no Youtube. “Cada banda enviou uma música. Nós enviamos ‘Planícies’ por acreditarmos que seria a música mais apropriada com a temática. ‘Planícies’ é uma música que fala sobre os problemas do mercado imobiliário no Brasil e especialmente em Pelotas. É uma crítica aos modelos de sociedade, que são construídos e impostos pra nós, onde falta casa, falta lazer, falta meio ambiente. Ao mesmo tempo que tais espaços sobram para as camadas mais altas, a maioria da população tem inúmeras barreiras para o acesso a áreas verdes, parques públicos e moradias populares. Ao invés de uma cidade de qualidade para todos, notamos trezentos empreendimentos direcionados às classes altas, cercando e dividindo as comunidades”, explica Pedro Soler. O disco físico pode ser adquirido a R$10,00, diretamente com a banda. O valor arrecadado é destinado à ocupação Mulheres Mirabal em Porto Alegre.

TRAJETÓRIA – Na formação atual da Marinas Found: Pedro Soler (voz e guitarra); Eduardo Walerko (voz e guitarra); Mike Pires (baixo); Murilo Uarth (bateria). O grupo surgiu há seis anos, e lançou o primeiro álbum homônimo em 2017. “É um disco que fizemos pra lançar nosso som para o mundo. Não estávamos tão preocupados com qualidade. Já o segundo, Ansiolítico, este sim, foi um trabalho mais produzido, com pré e pós-produção. Assim como uma sonoridade mais desenvolvida. A marinas tem o seu estilo próprio, que é fruto de tudo que trazemos das nossas vidas e, claro, vai na linha do punk e do hardcore”.



Fonte: Diário da Manhã
Redação: redacao@diariodamanhapelotas.com.br

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: