MAIS UMA VEZ : Idoso faz empréstimos e entrega R$10 mil no golpe do bilhete

MAIS UMA VEZ : Idoso faz empréstimos e entrega R$10 mil no golpe do bilhete

A finalidade é a mesma, mas as estratégias têm variações. O alardeado golpe do bilhete premiado, apesar de antigo e muito divulgado, prossegue fazendo vítimas. Na trama, geralmente dois comparsas, sendo que um finge estar perdido, desorientado, pois afirma que procede do interior ou município próximo. Ele aborda a vítima, que ouve a narrativa do desconhecido sobre um “bilhete premiado”, que está em seu bolso e oferece quantia expressiva. Repentinamente, surge o outro vigarista que, bem vestido, e falante, muitas vezes se apresenta como profissional liberal, e está disposto a ajudar. E o auxílio, na verdade, é convencer a vítima a repassar dinheiro à dupla. Em geral, eles solicitam garantia da vítima, para que possa receber parte do prêmio milionário. O que muitas vezes é usado como persuasão, é que o portador do bilhete, alegando argumentos bizarros como “o jogo é do diabo”, aceita abrir mão do prêmio se receber alguma quantia.

CabeçalhoIDOSO – A preferência dos golpistas é pela abordagem de idosos. E na sexta pela manhã, à avenida Fernando Osório, a vítima foi senhor de 92 anos. Ele estava numa parada de ônibus, quando foi abordado por mulher morena, magra, de baixa estatura e aparentando pouco mais de trinta anos. Ela disse que era de São Lourenço do Sul, e precisava comparecer na Caixa Econômica para retirar prêmio de loteria. Enquanto explicava ao senhor sobre a premiação, chegou o comparsa, que se identificou como filho de proprietário de grande imobiliária da cidade.

EMPRÉSTIMOS – Os golpistas induziram a vítima a entregar dinheiro, como garantia para que, posteriormente, recebesse parte da bolada. Ele embarcou no carro branco, tripulado pela dupla, e foi até agência bancária, onde fez empréstimo de R$5 mil. A seguir, noutra agência, à avenida Bento Gonçalves, novo empréstimo no valor de R$5 mil. Conforme o idoso, numa agência, o golpista retirou extrato da sua conta. Como, provavelmente, não houvesse mais o que sacar, então o golpista pediu à vítima, que o aguardasse, pois precisava falar com a esposa. Eles não retornaram, e na segunda à tarde a vítima foi à delegacia para registrar o golpe.



Fonte: Diário da Manhã
Redação: redacao@diariodamanhapelotas.com.br

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: