CAPÃO DO LEÃO : Polícia Civil prende  autores de execução

CAPÃO DO LEÃO : Polícia Civil prende autores de execução

Esclarecido o assassinato de Renato Beloni Viegas, executado com oito tiros

No início de fevereiro, homicídio no Parque Fragata, surpreendeu familiares, amigos e vizinhos da vítima. Sem antecedentes criminais, Renato Beloni Viegas, dedicava-se ao convívio familiar e trabalho no Capão do Leão. Ele, no entanto, estava na mira de integrantes de grupo criminoso. O motivo seria sua resistência a chegada do grupo na localidade onde morava. Com o intuito de aliciar nova clientela, e expandir a comercialização de entorpecentes, os traficantes passaram a frequentar e residir no Parque Fragata.

Assassinos têm ligação com grupo criminoso

Assassinos têm ligação com grupo criminoso

CRIME – Diante das manifestações da vítima, que repudiava o grupo, houve ameaças de que estaria sob risco. E, no dia 2 de fevereiro à noite, a vítima foi chamada até a entrada casa. Ao verificar quem o estaria procurando, deparou-se com dupla tripulando motocicleta. Quando a vítima percebeu do que se tratava, já não teve tempo para fugir. Os criminosos efetuaram disparos, e oito atingiram a vítima. O assassinato foi presenciado por menina, filha de Renato. Logo após os disparos, a dupla rapidamente deixou o local.

ESCLARECIDO – A Polícia Civil seguiu apurando informações, e investigando sobre a possível autoria. E na quinta pela manhã, através da Delegacia de Polícia do Capão do Leão, foram cumpridos dois mandados de prisão preventiva contra suspeitos do homicídio. A ordem para a ação, de acordo com os policiais, teria partido de detento que cumpre pena no sistema prisional.

PRISÃO – Um dos presos já estava retido no sistema prisional, em razão de prisão em flagrante, executada pela Brigada Militar no dia 1º de março. Já o segundo indivíduo foi preso na residência de sua namorada no bairro Jardim América, naquele município. Ambos possuem antecedentes por homicídios e tráfico de drogas.  Segundo o delegado Sandro Bandeira, um dos presos ainda estaria descumprindo prisão domiciliar à qual estava submetido.

ADOLESCENTES suspeitas da morte da menina Laisla Barreto Ribeiro de catorze anos, crime que ocorreu na terça-feira, foram apreendidas quarta à noite. De acordo com a polícia, questionadas sobre a motivação para o homicídio, elas apresentaram versões desencontradas. Numa das abordagens, a possibilidade de ciúme por causa de um jovem. Noutra, disputas e desavenças. As autoras, uma segurou a vítima, e outra desferiu os golpes com faca, têm catorze anos. Conforme decisão do Ministério Público, elas foram encaminhadas ao Centro de Atendimento Socioeducativo (Case).

REPERCUSSÃO do crime teve alcance nacional, pois envolve adolescentes com apenas catorze anos de idade. A vítima era aluna do quinto ano na Escola Municipal Santa Irene. A comunidade escolar, bem como moradores nas proximidades, na quarta e quinta-feira, mostravam-se chocados, e não sabiam explicar o porquê de tanta violência envolvendo meninas do bairro Getúlio Vargas.



Fonte: Diário da Manhã
Redação: redacao@diariodamanhapelotas.com.br

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: