AGENTES DE TRÂNSITO : Atuação diminui insegurança e morte por acidentes em Pelotas

AGENTES DE TRÂNSITO : Atuação diminui insegurança e morte por acidentes em Pelotas

Durante Operação Integrada do último fim de semana, um profissional foi agredido enquanto abordava motorista em situação irregular

Regularmente, as forças policiais do município promovem Operações Integradas durante os fins de semana, desde a implementação do Pacto Pelotas pela Paz. Entretanto, a ação que tem por objetivo elevar a sensação de segurança da população chamou a atenção na madrugada do último sábado (9), por um motivo ruim: a agressão de populares a um agente de trânsito.

A Polícia Civil investiga o caso de lesão corporal contra o servidor, que ocorreu na avenida Bento Gonçalves, quando um jovem resistiu à abordagem. Ele não tinha a Carteira Nacional de Habilitação e estava com os documentos da motocicleta atrasados.

O agente percebeu a irregularidade e abordou o motorista, que, na sequência, tentou escapar e acabou envolvendo outras pessoas que o agrediram a socos e derrubaram. Rapidamente a Brigada Militar chegou ao local e prendeu o jovem, que foi encaminhado a delegacia e deve responder por resistência a abordagem e por dirigir sem habilitação.

“Lamentamos o episódio, não é uma situação normal. A maioria das operações têm sido tranquilas”, disse o secretário de Transporte e Trânsito, Flávio Al Alam. Ele explica que os agentes fazem a parte de fiscalização de trânsito, não de segurança pública; os servidores não possuem o poder de polícia, mas não podem ser desacatados.

O projeto é focado na realização de blitzes para apreender armas ilegais, coibir o porte de drogas, o consumo de álcool ao volante e reduzir a perturbação do sossego público. Só em 2018 foram realizadas 140 operações, e outras 17 ocorreram neste ano.

Nestes quase 14 meses, 6.532 veículos passaram pela abordagem dos agentes de trânsito, dos quais 1.254 receberam autuações devido a irregularidades e 463 precisaram ser removidos das ruas. As operações Balada Segura foram englobadas às Operações Integradas, cujas edições focam também na identificação de estabelecimentos comerciais irregulares.

“Exaltamos a coragem e a atuação dos agentes de trânsito nas Operações Integradas que coíbem a perturbação do sossego público. Junto com a Brigada Militar e a Guarda Municipal, temos feito um trabalho que originou reduções em diversos índices de criminalidade e nas mortes no trânsito de Pelotas”, destacou Al Alam.

A cidade terminou o ano passado com o menor número de vítimas fatais em acidentes dos últimos dez anos, com 32 registros. As instituições atuam, diariamente, com o Plano de Prevenção Integrada, em que sete viaturas são posicionadas em locais estratégicos, determinados pelo Observatório de Segurança Pública, como parte do eixo de Fiscalização do Pacto. Pelotas encerrou 2018 com 25 vítimas em vias municipais e sete nas vias federais que cortam o município.

Além das Operações Integradas e do Plano de Prevenção Integrada, outras cinco práticas contribuíram para esses números, como as reuniões com as demais instituições que fazem parte do Pacto Pelotas pela Paz; a Balada Segura; o uso de radar; o videomonitoramento; e as obras de requalificação de vias estruturantes.

Total vítimas



Fonte: Diário da Manhã
Redação: redacao@diariodamanhapelotas.com.br

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: